É necessário que o seu navegador tenha o suporte a javascript habilitado para navegar neste site. Sob Tua Luz
  • 00 item(s) - R$ 0,00
Seu carrinho de compras está vazio.
  • Sob Tua luz

Sob Tua luz

Caráter e Valores no Serviço Divino
Autor: Aharon Lichtenstein
SKU: 146756
Páginas: 296
Avaliação geral:

Qual o papel do judaísmo no mundo moderno? Quais são as minhas responsabilidades para com a humanidade, o povo judeu, a Torá e para comigo mesmo? Como dar a minha melhor contribuição individual? Como é possível equilibrar meus variados objetivos na vida?

R$ 60,00 no Cartão
Disponibilidade: Imediata

Quem comprou esse produto também comprou:

Descrição

Qual o papel do judaísmo no mundo moderno? Quais são as minhas responsabilidades para com a humanidade, o povo judeu, a Torá e para comigo mesmo? Como dar a minha melhor contribuição individual? Como é possível equilibrar meus variados objetivos na vida?

Neste volume, composto de 12 ensaios apresentados originalmente em palestras e adaptados pelo Rabino Reuven Ziegler, o saudoso Rabino Aharon Lichtenstein analisa estas questões e mais uma série de tópicos relacionados a elas, como O refinamento do caráter, Abertura e isolamento, Mandamentos e livre arbítrio, Estudos seculares,Torá e carreira profissional, Como estabelecer prioridades religiosas, Religião e moralidade, Confiança em Deus, O Holocausto, O Estado de Israel, A solidariedade judaica e Arrependimento, entre outros.

O Rabino Lichtenstein aborda estes temas num estilo único que combina erudição na Torá com erudição no pensamento ocidental, fazendo uma análise profunda com grande amplitude de visão.

Ele aplica os eternos valores do judaísmo com sensibilidade histórica e psicológica, atendendo assim a busca dos leitores por uma maior compreensão de si mesmos e como incrementar seu crescimento religioso.

Índice e trechos

Prefácio à edição brasileira

Prefácio à edição em inglês

capítulo 1

Para cultivar e guardar.

Os deveres universais da humanidade

Apêndice ao capítulo 1

A Torá suplanta ou suplementa os valores universais?

capítulo 2

Percebe Sua presença por onde quer que venhas a andar.

As duas formas de servir a Deus

capítulo 3

Mitsvá ? Uma vida de subordinação

capítulo 4

Torna permanente a tua ligação com a Torá.

A centralidade do estudo da Torá

capítulo 5

Determinando objetivos para o desenvolvimento religioso.
Especialização ou abrangência espiritual?

capítulo 6

Ser religioso e ser bom.

Análise da relação entre religião e moralidade

capítulo 7

Bitachon - Confiança em Deus

capítulo 8

"Mesmo no sofrimento continuo com Ele"

O desafio do Holocausto

capítulo 9

Se permaneceres em silêncio num tempo como esse.

Preocupações sobre o destino do povo judeu

capítulo 10

Teshuvá - arrependimento e retorno

capítulo 11

Um coração puro.
O refinamento do caráter e o equilíbrio dos valores

capítulo 12

A ortodoxia moderna:

uma prestação de contas espiritual

Prefácio

Prefácio à edição brasileira

Tomar! (Diga!)

Este era o imperativo que meu mestre, HaRav Dr. Aharon Lichtenstein ZTL usava para iniciar as suas famosas e concorridas aulas de Talmud. A cada encontro, que durava pelo menos 2 horas, ele costumava olhar ao seu redor e escolher um aluno que iria ler e comentar o trecho em pauta, respondendo aos diferentes questionamentos que ele fazia para aprofundar e desenvolver o tema.

Para nós, alunos, aquele momento representava uma mistura de diferentes sentimentos. De um lado, o temor de ser chamado; de outro, o mérito de ser lembrado individualmente e de receber a grande honra de poder conduzir publicamente a aula. Costumávamos preparar cada trecho ao longo de 2 a 3 dias, através de horas de estudos, pesquisas, debates, leituras e resumos, para conhecer e dominar cada detalhe do assunto. Ninguém queria ser chamado de surpresa, muito menos desapontar nosso mestre com uma leitura superficial ou despreparada! Quando isso acontecia, o Rav tentava amenizar a situação e evitar o constrangimento do aluno escolhido. Mesmo assim, no início da aula o silêncio reinava absoluto, cada um se encolhia em sua cadeira, tentando de certa forma passar despercebido; de outro lado, o desejo íntimo e acanhado de ouvir nosso próprio nome sendo chamado pelo Rav era muito intenso - uma vez que representava um tipo de condecoração: Você é meu aluno, gostaria muito que lesse para nós! Lembro até hoje a forte palpitação que me acometeu quando, na primavera de 1998, meu nome foi chamado para conduzir a leitura daquele dia: Shmuel, Tomar!

 Sentíamos uma profunda reverência, um grande respeito e, acima de tudo, uma enorme admiração pelo nosso mestre. Ele era versado e dominava com proficiência e profundidade os textos bíblicos e sua exegese, a literatura talmúdica - Bavli e Yerushalmi -, com todos os seus comentaristas; a literatura rabínica dos Midrashim; a literatura dos Gueonim; as obras dos Rishonim, em especial o Mishnê Torá do Maimônides; a jurisprudência do Shulchan Aruch e seus codificadores, e obras de Responsa, desde a época medieval à contemporânea; dominava a literatura da Filosofia e do Pensamento Judaico. Sua ampla e abrangente formação secular ampliava o seu repertório de conhecimento para as obras clássicas da filosofia e literatura universal, bem como os pensadores medievais e contemporâneos.

Mas não era só o gigantismo do seu saber que nos encantava. Provavelmente, a maior marca que ele imprimiu nos milhares de alunos que educou ao longo de sua vida, era a de sua personalidade nobre, do seu caráter sublime, sensível e humilde. Para nós, ele era a personificação de tudo aquilo que ensinava e pregava.

O estandarte moral, ético, intelectual e espiritual que o Rabino Aharon Lichtenstein estabeleceu para si fugiam do senso comum e da compreensão de todo aquele que o conheceu. Ele buscou e educou para a grandeza do espírito, do saber e da prática. Não se contentava com mediocridade nem com concessões. Queria atingir o máximo em tudo o que fazia e em tudo o que estudava. Sua visão de mundo era de totalidade - todo e qualquer campo do conhecimento pode e deve ser aliciado para uma melhor compreensão do mundo e de Seu Criador. Ele acreditava que, através da profundidade e da abrangência, a relação do ser humano com Deus assumia outra dimensão e perspectiva.

 Nascido em Paris, França, no dia 23 de maio de 1933, 28 de Yiar de 5693, era filho do Rabino Dr. Yechiel e de Bluma Lichtenstein. Ainda pequeno, teve que fugir da França, junto com a sua família, após a ascensão do regime nazista na Alemanha. Certa vez, ele me confidenciou que o primeiro país que concedeu visto de imigração para a sua família foi justamente o Brasil. Mesmo assim, seu pai recusou levar a família para o hemisfério sul, uma vez que não havia uma estrutura educacional compatível com aquilo que pretendia proporcionar ao seu filho.

 O Rabino Aharon estudou na Yeshivat Haim Berlin, com o célebre Rabino Yitzchak Hutner, autor do livro Pachad Yitschac, que teve uma grande influência em sua educação. Ao concluir seus estudos colegiais, seguiu para o Rabeinu Itzchak Elchanan Theological Seminary (RIETS), da Yeshiva University, onde se tornou o mais jovem aluno a frequentar as aulas do famoso Rabino Dr. Joseph Dov HaLevi Soloveitchik - HaRav, como era conhecido por seus alunos. O Rav Aharon se tornou o mais próximo discípulo do Rav Soloveitchik.

 Ao concluir seus estudos rabínicos, foi incentivado pelo seu mestre a seguir para a Universidade de Harvard. Ali ele obteve seu Ph.D. em Literatura Inglesa. Sua tese de doutorado - The Rational Theology of a Cambridge Platonist - versava sobre o filósofo inglês Henry More. Durante aquele período, ele continuou estudando individualmente com seu mestre, em Boston.

 Em 1960, casou-se com a Dra. Tovah Soloveitchik, filha de seu reverenciado mestre. Com apenas 28 anos ele foi nomeado o Rosh Kolel de Yeshiva University, cargo que ocupou até o ano de 1971, quando aceitou o convite do Rabino Yehuda Amital para assumir, ao seu lado, o cargo de Rosh Yeshivá da recém inaugurada Yeshivat Har Etzion, em Alon Shevut, Gush Etzion. Muitos anos depois, o Rav Aharon revelou que esta decisão foi motivada por um sentimento de idealismo, pioneirismo e desafio, principalmente o de estabelecer um centro avançado de estudos de Torá no qual os seus alunos se alistariam no Exército de Israel.

 Ele dividiu por quase quatro décadas a liderança da Yeshivá ao lado do Rabino Amital. Embora tivessem personalidades e estilos completamente diferentes, o sentimento de respeito e reverência mútuo, bem como a liderança enérgica de ambos, consolidou a Yeshivat Har Etzion como uma das mais reconhecidas Yeshivot Hesder. O Rav Aharon acreditava estar no imperativo de cada jovem servir o exército por razões morais, nacionais e espirituais. Ele escreveu um importante artigo Zot Torat haHesder, onde estrutura e embasa esta sua visão.

 Além de ser um grande sionista, ele acreditava numa Torá engajada, que poderia e deveria ser inserida em todos os contextos e instâncias da vida e da sociedade. O Rav Aharon educava seus alunos a assumirem a liderança, o protagonismo e a responsabilidade, seja durante o serviço militar, seja em suas escolhas profissionais, para que os verdadeiros valores da Torá ecoassem em todas as esferas.

 Para o Rabino Lichtenstein, o estudo da Torá, em toda a sua complexidade e profundidade, era o centro e o foco de sua existência. Ele era um talmudista par exellence, imbuído da tradição de Brisk,1 cujo estudo racional e analítico revolucionou o estudo da Torá ao longo do século XX. E, através deste conhecimento e olhar, ele analisava a sociedade e a vida, com todos os desafios e com toda a problemática que esta apresenta ao homem de fé. Porém, ele acreditava convictamente no dever e na responsabilidade dos estudiosos e seguidores da Torá de interagirem com o mundo e trazerem a intensidade moral e espiritual para a sociedade.

 Ele possuía uma visão extremamente humanista e sensível, e isto definiu uma linha muito clara nas suas deliberações haláchicas, onde conceitos como Kevod haadam (a dignidade humana), Tselem Elokim (a imagem Divina), Tsorech gadol (extrema necessidade) e Pikúach nefesh (risco à vida) são recorrentes nas suas determinações normativas. Ele não hesitou em defender posições controversas no debate público em diversos temas contemporâneos. Através de sua visão profunda, equilibrada e totalmente embasada na literatura rabínica, passou a ser consultado com muita frequência por líderes e pensadores do povo judeu.

 O serviço Divino - Avodat Hashem - era o objetivo maior de sua vida. O Rav Aharon era extremamente temente a Deus, meticuloso na prática das mitszvot, refinado em sua atitude com o próximo e bondoso em seus atos de Chessed. As suas orações eram feitas com grande devoção e muita concentração. Observá-lo completamente imóvel durante a Amidá nos dava a clara percepção que ele se sentia perante Hashem num encontro íntimo e sincero.

 Ao longo de quase cinco décadas, através de dezenas de artigos publicados em diferentes veículos, de seus discursos e palestras proferidos na Yeshivá, em Universidades e em diversos fóruns públicos, ele foi uma das principais e mais importantes referências e autoridades para o Movimento Religioso Sionista em Israel, bem como para a Ortodoxia Moderna nos EUA.2 Ao longo destes anos, formou milhares de alunos, entre os quais destacados Rashê Yeshivot, rabinos, educadores, médicos, juízes, advogados, pesquisadores e empresários, que buscam aplicar em suas diferentes áreas de atuação a síntese que ele representou e para a qual ele educou: o compromisso com o estudo da Torá e de seu engajamento com o mundo, uma vida embasada em moralidade e responsabilidade.

 No ano de 2014 ele foi laureado com o Prêmio Israel, pelas suas contribuições para a sociedade israelense e, principalmente, pela sua obra literária. Em 20 de abril de 2015, 1º de Yiar de 5775, o Rav Aharon faleceu, aos 81 anos, deixando sua esposa, 6 filhos, netos e bisnetos. Em seu enterro, foi acompanhado por milhares de alunos e admiradores, entre eles figuras importantes do mundo rabínico e político.

 Por mais de duas décadas, desde que ingressei na Yeshivá, não há um dia sequer que não penso na figura de meu mestre, buscando, através do seu exemplo, a inspiração e a motivação para uma vida pautada em moralidade, retidão, responsabilidade social e compromisso com o destino de nosso povo, bem como o aprofundamento no estudo de Torá e na prática de mitsvot. No ano de 2003, quando fomos agraciados com o nascimento de nosso filho, demos a ele o nome de meu mestre, fazendo uma singela homenagem como reconhecimento pelo impacto e pela influência que ele exerceu em minha vida. Treze anos se passaram e, chegado o momento do Bar Mitsvá dele, decidimos publicar esta obra, como uma forma de expressar nossa gratidão a Deus e nosso desejo de ver todos os nossos filhos seguindo o caminho trilhado pelo Rav Aharon que, para nós, é o caminho autêntico de uma Torá que enobrece o homem e engrandece o Nome de Hashem!

 Faço um reconhecimento especial e uma homenagem carinhosa ao estimado prof. Jairo Fridlin, que não poupou tempo nem esforços para a publicação desta obra e para a revisão meticulosa do texto. À frente da Editora Sêfer, ele tem possibilitado a toda uma geração de nossa comunidade o acesso aos valores milenares do judaísmo e, também neste sentido, o seu mérito é imensurável!

 Parabenizo o Sr. David Gorodovits pela sua primorosa e requintada tradução e agradeço ao meu querido amigo, Sr. Edgar de Picciotto, pela revisão do texto final.

 À Família Lichtenstein, em especial à Rabanit Tovah e ao seu filho, o atual Rosh Yeshivá, HaRav Moshe, bem como à Yeshivat Har Etzion, representada pelo Sr. Yoel Weiss, Vice-Presidente Executivo do Etzion Foundation, o meu sincero agradecimento pelo apoio a esta empreitada e por autorizar a utilização da obra original em inglês By His Light para esta tradução.

 Finalizo com uma oração: Que Hashem permita que eu e minha querida esposa Tamara possamos ver nossos filhos - Dina Moriah, Dalia, Aharon Michael e Yitzchak Yehuda Arieh - crescendo e seguindo o caminho da Torá e das mitsvot, inspirados pelos ensinamentos e pelo legado de meu querido e saudoso mestre, HaRav Aharon Lichtenstein ZTL, e que o seu mérito e sua Torá proteja e ilumine os seus caminhos e de todo Am Israel.

 Rabino Saul Paves

São Paulo, Yiar de 5776.

 

1. A tradição de Brisk foi criada e estruturada principalmente pelo Rabino Chaim Soloveitchik, conhecido como Reb Chaim de Brisk. Ele foi rabino na famosa Yeshivá de Volozhin e ficou notabilizado pelo sistema analítico do estudo do Talmud, buscando a conceitualização e a definição precisa das categorias haláchicas, fazendo uma leitura crítica e detalhista de cada trecho e discussão do Talmud, conhecida como chakirá, ou seja, investigação.

2. Para uma bibliografia completa de sua obra, ver: http://etzion.org.il/vbm/archive/Bibliography-web.htm

Sobre o autor

O Rabino Aharon Lichtenstein foi um grande líder da educação judaica, erudito e pensador. Educado na Yeshivá do Rav Chayim Berlin e na Yeshivat Rabi Yitzchak Elchanan, recebeu sua ordenação rabínica de seu mentor, o Rabino Joseph B. Soloveitchik Z.L.

Após receber seu Ph.D em Literatura Inglesa pela Universidade de Harvard, lecionou Talmud e Literatura na Yeshiva Univesity, em New York, e dirigiu seu colel. Após se mudar para Israel em 1971, atuou como codiretor da Yeshivat Har Etsion, em Alon Shevut, e em várias instituições de estudos avançados da Torá, sendo que seus alunos também serviam nas Forças de Defesa de Israel.

Sua visão sobre assuntos religiosos, sociais e pessoais são amplamente estudados - tanto em Israel como na Diáspora -, e sua influência se estendeu através de seus inúmeros discípulos, que servem como rabinos educadores e líderes comunitários por todo o mundo. Pedagogo incansável, ministrou palestras e publicou dezenas de artigos nas áreas do Talmud, Lei Judaica e Pensamento Judaico.

Faleceu em 2015 aos 81 anos.

Avaliação dos Clientes

Seja o primeiro a avaliar este produto.
Newsletter